14 de janeiro de 2011

Flash 17

5 comentários:

Yvonne Falkas disse...

Querida Marise,
Esta catástrofe na região serrana do Rio me fez lembrar a história dos 3 porquinhos e o lobo querendo adentrar. Os porquinhos têm a casa de papel e o Lobo os devora.
Piedade a todas as vítimas e do povo brasileiro.
Yvonne

Gilia GerlinG disse...

Marise,
Teus flash's 15/16 e 17 são tão comoventes quanto à tragédia sempre anunciada.
Abraço e comoção
Gilia

Anônimo disse...

MINHA QUERIDA AMIGA , A TUA DOR EXTRAVAZA ATRAVÉS DA POESIA E TOCA-ME PROFUNDAMENTE A ALMA! QUANTA TRISTEZA, QUANTA DOR! QUE DESOLAÇÃO!!! NÃO TENHO PALAVRAS PARA EXPRIMIR O QUANTO ESSA SITUAÇÃO ME TOCA E AO MESMO TEMPO ME DEIXA COM A SENSAÇÃO DE PEQUENEZ DIANTE DA FORÇA INCOMENSURÁVEL DA NATUREZA!!! OBRIGADA PELO CARINHO E ATENÇÃO. LINDO E TRISTE DEMAIS!!!
ANNA

ju rigoni disse...

Perfeito, Marise!

"Tudo virou papel"

Tudo é um grande teatro a exibir sempre a mesma tragédia. Os protagonistas de sempre pensam no dinheiro que há de representar a oportunidade. O dinheiro que dizem precisar para a reconstrução desse ato qua nunca há de ser o último, enquanto aqueles que, na tragédia anterior, eram o tema principal, hoje, jazem sob escombros.

Um rio por onde correm sempre as mesmas águas... Parmênides, em tempo que há muito deveria ser de Heráclito.

Beijo grande, Marize. Inté!

mario augusto disse...

A região serrana compreende três principais polos turísticos e industriais: Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis. Assim, em meio a sujidades, localizar a que cidade pertence o instantâneo fica difícil, mas todas são irmãs gêmeas irmanadas nas tragédias das águas de Janeiro. A minha, Nova Friburgo, foi invadida por água, lama, desabamentos, mortes e, se não bastassem esses nocivos elementos, juntou-se a eles a patética indiferença das ditas autoridades. Nesse ano que vai se findando, os ventos da dor sopraram para os lados espirito santenses carreando àquelas plagas o desespero, o terror e... O que rima a esse termo? A dor! A dor imbatível, a dor invencível e teimosa, a dor pelas perdas irreparáveis - materiais e humanas! Até quando estaremos às mãos de insensíveis "otoridades?

Mörh Anii Rá